Pouco conhecida por esse nome, a doença de Peyronie é caracterizada pela curvatura do órgão sexual masculino no momento de ereção. Cada pênis possui características próprias com relação ao formato, largura e tamanho, e ter uma ereção curvada não é necessariamente um motivo de preocupação. Mas a doença de Peyronie causa uma curvatura ou dor significativa em alguns homens. Segundo o especialista em urologia, Cristiano Paiva, a Peyronie é uma condição benigna, que não causa risco algum os portadores da doença. Além, de ser mais comum entre homens acima dos 50 anos. Nos jovens a probabilidade é menor, contudo, não estão imunes em apresentar o problema.

Não existe uma “incidência” exata, estudos recentes mostram que em torno de 10% dos homens com mais de 40 anos de idade poderão ter cicatrizes em seus pênis. No entanto, apenas uma parte desses homens têm cicatrizes significativas para se preocupar ou solicitar um exame médico.

Segundo Paiva, este processo é produzido por formação de cicatrizes no revestimento do corpo cavernoso do pênis, uma estrutura conhecida como túnica albugínea. A doença pode se manifestar de duas formas no órgão sexual masculino: presença de fibrose e nódulos endurecidos ou, em casos mais graves, placas calcificadas. Em alguns casos, as ereções e a tensão podem agravar a dor e prejudicar a vida sexual dos portadores da doença.

No geral, acredita-se que a Doença de Peyronie seja causada por pequenas pancadas no pênis. Tais pancadas geram inflamação e cicatrização anormal na capa dos corpos cavernosos, responsáveis pela ereção. Essa má cicatrização altera a elasticidade do pênis, provocando sua curvatura. A evolução dessa condição é a calcificação de placas no órgão, que geram impacto direto sobre a vida sexual do homem.

Complicações

As complicações da doença de Peyronie podem incluir:

  • Incapacidade de ter relações sexuais
  • Dificuldade em alcançar ou manter uma ereção (disfunção erétil)
  • Ansiedade ou estresse sobre as habilidades sexuais ou a aparência do pênis
  • Estresse no seu relacionamento com seu parceiro sexual
  • Dificuldade em gerar um filho, porque a relação sexual é difícil ou impossível
  • Comprimento reduzido do pênis
  • Dor peniana

Peyronie tem cura?

Sim. O tratamento da doença de Peyronie pode ser clínico ou pode requerer um tratamento cirúrgico, (para corrigir a curvatura do pênis), dependerá da fase da doença e dos sintomas de cada paciente.

Em um número muito pequeno de casos (cerca de 13 em 100), a doença de Peyronie desaparece sem ser tratada. Muitos especialistas em saúde sugerem tratar a doença sem cirurgia nos primeiros 12 meses após a primeira ocorrência da doença.

Homens com placas pequenas, sem muita curvatura do pênis, sem dor e sem problemas com o sexo podem não precisar ser tratados. Se você precisar ser tratado, há muitas opções.

Peyronie Manaus: onde achar tratamento

A população conta agora com o ipok, um aplicativo inovador de Bem-Estar e Saúde, cujo objetivo é facilitar o dia a dia de usuários que precisam agendar uma consulta médica de forma prática, ágil e segura. Além disso, é possível, avaliar o atendimento de um profissional de saúde, efetuar buscas por profissionais especializados ou acompanhar informações detalhadas para cada doença ou diagnóstico médico. Inclusive, na plataforma ipok é possível agendar uma consulta com o urologista Cristiano Paiva ou outros especialistas em urologia em Manaus.

Atenção: A informação descrita acima, serve apenas como apoio e não, substitui em hipótese alguma, a consulta médica com um profissional especializado. Para um diagnóstico preciso, procure uma avaliação médica de sua preferência ou no serviço público de saúde.

FONTE: Ministério da Saúde; Sociedade Brasileira de Urologia, American Urological Association e Urology Care Foundation.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *